menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

Projeto de Reflorestação do Carriço. “Queremos devolver a Floresta autóctone à região”

 

Hoje, no dia em que se celebra o Dia Internacional das Florestas, a REN assinala a data com extraordinário projeto de reflorestação recentemente concluído no Carriço. Na sua origem estão os grandes incêndios de 2017, nomeadamente o de outubro, que destruíram uma mancha enorme de floresta na região (num total de 36 concelhos), ameaçaram e ceifaram vidas (mais de 100 vítimas mortais) e puseram em causa a segurança de uma infraestrutura fundamental nas reservas estratégias de combustíveis do país -  a REN Armazenagem. Constituída por 6 cavidades de armazenamento, as instalações do Carriço representam 57% da capacidade de armazenamento existente em Portugal.

Devolver a floresta autóctone à região é o objetivo deste projeto que fez renascer das cinzas uma área de 47ha com a plantação de mais de 60 mil espécies de árvores mais resistentes ao risco de incêndio e a construção de acessos - cerca de 10km de rede viária.

Este é mais um contributo do importante trabalho que a REN faz e tem feito, em conjunto com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e os municípios onde estão instaladas infraestruturas afetas à concessão das redes de transporte e gestão dos sistemas de eletricidade e gás, na defesa da floresta contra incêndios rurais. A REN tem quase 10 mil quilómetros de servidões de linhas elétricas e gasodutos, sendo que mais de 60% destas faixas de servidão estão inseridas em espaços florestais.



Dia Internacional das Florestas - Origem e história


Em 1872, face à escassez de árvores e florestas no Nebrasca (EUA), a população decidiu dedicar um dia à plantação de árvores. Inicialmente, a comemoração não tinha um dia fixo e muitos países associaram-se a esta iniciativa, tendo a primeira "Festa da Árvore" sido comemorada em Portugal, em 1907, estendendo-se estas comemorações, sobretudo durante o período inicial da 1.ª República, até 1917.

Em dezembro de 1970, no âmbito das comemorações do Ano Europeu da Conservação da Natureza, foi retomada a celebração oficial do "Dia da Árvore", por proposta da então Direcção-Geral dos Serviços Florestais e Aquícolas e da Liga para a Protecção da Natureza.

A Festa passou da Árvore à da Floresta quando, em 1971, a FAO estabeleceu o "Dia Mundial da Floresta" com o objetivo de sensibilizar as populações para a importância da floresta na manutenção da vida na Terra. Como consequência, em Portugal, em 1974, foi celebrado o primeiro "Dia Mundial da Floresta", tendo sido escolhida, como em muitos outros países do hemisfério norte, a data de 21 de março, o primeiro dia de primavera.

A 30 de novembro de 2012, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução que declara o dia 21 de março de cada ano como o Dia Internacional das Florestas. A data tem como principal objetivo garantir que as gerações futuras continuarão a beneficiar e a usufruir das florestas, e visa ainda incentivar a gestão sustentável das florestas, e a conservação e ordenamento dos espaços florestais naturais.