menu
 
 

REN

Comunicados Comunicados
Comunicados

Media

‹ VOLTAR

Semestre com redução do EBITDA e recuperação do investimento

 

EBITDA cai cerca de 3,9% para 227,94M€

Produção renovável atingiu 68% da oferta total de energia elétrica

Solar superou 800MW pela primeira vez

Custo da divida baixa para 1,6%

Novo Plano Estratégico com aposta reforçada na sustentabilidade bem acolhido pelo mercado


A REN - Redes Energéticas Nacionais registou um resultado líquido de 39,5M€ no primeiro semestre de 2021, um recuo de 6,5M€ em comparação com o período homólogo. Para este resultado líquido contribuiu negativamente o EBITDA, penalizado com a redução da remuneração da Base de Ativos Regulada. A contribuir positivamente estiveram os resultados financeiros, a beneficiar da redução do custo da divida de 1,9% para 1,6%. O EBITDA atingiu os 227,94M€, uma diminuição de 3,9% face ao mesmo período de 2020.


O CAPEX aumentou 18,7M€ para 79,3M€, enquanto as transferências para a Base de Ativos Regulada aumentaram 7,3M€ para 16,9M€. De referir que a pandemia continua a ter impacto na atividade da empresa, criando alguns atrasos nos projetos em desenvolvimento.


No início de abril, a REN realizou a sua primeira emissão de "Green Bonds", num montante de 300M€, com maturidade de 8 anos, e uma procura cinco vezes superior à oferta. A emissão surgiu dois meses depois de a empresa ter sido certificada pelo Institutional Shareholder Services (ISS-ESG) com o rating Prime, ao considerar que a empresa dá um "contributo significativo para o atingimento das metas de desenvolvimento sustentável".


Em relação às energias renováveis, a REN assinou acordos bilaterais para a ligação à rede de 14 centrais solares que vão totalizar uma capacidade instalada solar de 3,5GW. 


A qualidade do serviço manteve-se num patamar muito elevado, tanto para eletricidade como para Gás Natural, com 0,00 min de tempo de interrupção de eletricidade e taxa de disponibilidade combinada de gás natural em cerca de 100%.


Em maio, a REN apresentou o Plano Estratégico para o período 2021 - 2024, que reforça a aposta na transição para uma energia verde sem pôr em causa a solidez financeira e o desempenho operacional de excelência que têm caracterizado a empresa. A REN pretende ainda reduzir as suas emissões em 50% até 2030 (em comparação com 2019), conseguindo atingir a neutralidade carbónica em 2040, dez anos antes do definido pela União Europeia.

 

Destaques operacionais

A produção renovável abasteceu 68% do consumo de energia elétrica no primeiro semestre do ano, repartida pela hidroelétrica (32%), eólica (26%), biomassa (7%) e fotovoltaica, que atingiu pela primeira vez pontas acima de 800 MW, com 3%. A produção não renovável abasteceu 29% do consumo, repartida por gás natural com 27% e carvão com 2%. Os restantes 3% corresponderam a energia importada.


No mês de junho, o consumo de energia elétrica registou um crescimento homólogo de 6,7% (ou 7,1% com correção dos efeitos de temperatura e número de dias úteis). No final do primeiro semestre registou-se alguma tendência de recuperação face ao ano anterior, com um crescimento homólogo de 3,2% (ou 3,4% com correção de temperatura e dias úteis), embora se registe uma quebra de 2% face ao mesmo período de 2019.

 

No mercado de gás natural, verificou-se uma variação homóloga mensal de 18%, repartida por 11% no segmento convencional e 29% no segmento de produção de energia elétrica.

 

No final do 1º semestre, apesar de uma queda de 3,3% no consumo para produção de energia elétrica, verificou-se se uma variação homóloga positiva de 5,1%, impulsionada pelo crescimento de 8,9% no segmento convencional.  Relativamente a 2019, regista-se uma quebra de apenas 0,6%.

 

Iniciativas que marcaram o semestre

Em maio foi lançada uma nova App para investidores, atualizando a lançada em 2016, com o objetivo de disponibilizar informações relevantes para este grupo de stakeholders, seja com notícias sobre a operação da empresa seja com informação financeira atualizada em tempo real. Este empenho na melhoria das ferramentas de comunicação digital resultou ainda no lançamento do Data Hub, em junho. Esta plataforma agrega e disponibiliza, de forma atualizada, dados quantitativos sobre o setor energético nacional. A informação é disponibilizada em open data e o site permite uma maior segmentação dos dados, tais como a repartição da produção por fonte primária e as entradas e saídas das redes de transmissão.


No âmbito da política de apoio às comunidades locais, no final do semestre foram entregues nove viaturas todo-o-terreno a corporações de Bombeiros Voluntários, reforçando o compromisso da empresa com a prevenção e combate aos incêndios rurais.